Fiocruz: reforço da Pfizer aumenta proteção de quem tomou CoronaVac

Uma pesquisa da Fiocruz analisou a efetividade da CoronaVac diante da variante ômicron e constatou que a melhor proteção é obtida com um reforço da vacina da Pfizer. Os resultados confirmam a recomendação do Ministério da Saúde, de priorizar a utilização de imunizantes de RNA mensageiro na terceira dose contra a covid, independentemente do esquema vacinal primário. No Brasil, a vacina com essa tecnologia é da Pfizer.

No período de predominância da cepa ômicron, entre setembro de 2021 e março desse ano, a eficácia das duas doses de CoronaVac ficou em 8,1% contra os casos da doença sintomáticos e de 57% contra desfechos graves da infecção. Já com a dose de reforço da mesma vacina, a efetividade subiu para 15 e 71,3%.

Mas quando a terceira dose aplicada foi a da Pfizer, a proteção aumentou de forma significativa, chegando a 56,8% nas infecções leves e 85,5% contra os registros graves.

Além disso, o estudo concluiu que a dose de reforço da CoronaVac fornece proteção adicional limitada, e já começa a ter declínio no prazo de 90 dias, mesmo contra casos de maior gravidade. Por outro lado, a dose de reforço de Pfizer proporciona proteção sustentada nessas situações por pelo menos três meses.
Saúde Rio de Janeiro Reforço com Pfizer aumenta proteção em quem recebeu doses da CoronaVac 06/04/2022 – 10:33 Vitória Elizabeth/ Renata Batista Tâmara Freire – Repórter da Rádio Nacional covid-19 Ômicron Pfizer Coronavac Fiocruz quarta-feira, 6 Abril, 2022 – 10:33 1:33

Fonte: Saúde

Share