Pessoas que já tiveram covid estão mais protegidas depois de vacinadas

Um novo estudo do projeto VigiVac da Fiocruz demonstra que mesmo pessoas já infectadas pelo coronavírus apresentam aumento dos níveis de proteção contra a covid-19 quando vacinadas.

A pesquisa mostrou aumento da proteção para evitar infecção e, principalmente, hospitalização e morte. Para esses casos, a eficácia foi de 81% para a CoronaVac, 89% para a AstraZeneca, 57% para a Janssen e 89% para a Pfizer.

Já contra casos sintomáticos, a efetividade foi de 39% para a Coronavac, 56% para a AstraZeneca, 44% para a Janssen e 64% para a Pfizer.

Muitos países recomendam que uma dose é suficiente para pessoas previamente infectadas, mas os pesquisadores constataram que uma segunda dose da CoronaVac, AstraZeneca e Pfizer garantiu proteção adicional significativa contra infecções sintomáticas e casos severos.

Os pesquisadores se basearam nos dados nacionais de notificação, hospitalização e vacinação de covid-19, no período de fevereiro de 2020 a novembro de 2021.

Das mais de 210 mil pessoas que apresentaram doença sintomática e realizaram teste RT-PCR pelo menos 90 dias após a infecção inicial por coronavírus e após o início do programa de vacinação, 14,5% tiveram a reinfecção confirmada.

© Tânia Rêgo/Agência Brasil

Saúde Rio de Janeiro Covid-19: vacinas usadas no Brasil elevam proteção contra reinfecções 01/04/2022 – 21:22 Sheily Noleto (Ràdio Nacional) e Luiz Claudio Ferreira (web) Fabiana Sampaio, da Rádio Nacional Vacinação covid sexta-feira, 1 Abril, 2022 – 21:22 1:29

Fonte: Saúde

Share